My Image

Orquestra das pás, apresenta nova estrutura musical.

Apontada como uma das melhores e mais completas orquestras de baile do Norte-Nordeste, a Orquestra do Clube das Pás vive sua melhor fase. Na atual gestão do presidente Rinaldo Lima, os cantores Castanho, Jorge Costa, Paulo Maurício, Aninha Tenório e Folha Temporal se revezam no palco das Pás com a missão de manter o dancing sempre cheio e animado. E conseguem isso com muito talento. Para tanto, desfiam um repertório recheado de cúmbias, salsas, boleros, bregas românticos, sambas e até hits dos chamados tempos da brilhantina. Tudo para agradar em cheio um público fiel e cada vez mais exigente.

Sob a regência do Maestro Ernani (trompete), a Orquestra é formada por Nando Rossi e Jullius César (bateria), André Andreolli (percussão), Antonio Guedes (contrabaixo), Toinho (guitarra), Júnior (teclados), Oséas (trombone), Nado do Sax Azul e Tony (sax). Ao todo, são 15 músicos. Às sextas-feiras, as apresentações vão das 17h às 2h; aos sábados, das 21h às 3h; aos domingos, das 16h às 22h e às segundas-feiras, das 17h às 22h. Sempre com casa lotada.

A Orquestra das Pás foi criada em outubro de 1964 com o nome de Orquestra Continental. Por ela passaram grandes instrumentistas e cantores que marcaram época sob a regência do maestro Moacyr, a exemplo do saudoso cantor carinhosamente conhecido como Tim Maia, numa alusão ao ídolo carioca. Havia também os cantores Edgar Silva, Cristina e Nicinha. Todos esses já falecidos. "Cada um de nós busca dar o melhor de si no palco, sempre procurando levar alegria aos frequentadores do clube e manter o dancing cheio a noite inteira", revela o cantor Castanho, cujo repertório é recheado de ritmos latinos.